Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 07/11/2016 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

WikiLeaks: Assange será interrogado na embaixada do Equador

Fundador do WikiLeaks será interrogado na embaixada do Equador em novembro. O Ministério Público sueco quer interrogá-lo por um suposto estupro cometido em 2010, que ele nega

Fundador do WikiLeaks será interrogado na embaixada do Equador em novembro. O Ministério Público sueco quer interrogá-lo por um suposto estupro cometido em 2010, que ele nega

O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, será interrogado no dia 14 de novembro por um procurador equatoriano na embaixada do Equador em Londres sobre a denúncia de suposto estupro apresentada contra ele na Suécia em 2010, anunciou nesta segunda-feira o Ministério Público de Estocolmo. A informação é do ‘Correio Braziliense’.

“O Equador aceitou o pedido sueco de assistência legal em assuntos delitivos e a visita estará dirigida por um procurador equatoriano”, anunciou o Ministério Público em um comunicado. A procuradora sueca Ingrid Isgren, chefe-adjunta da investigação contra Assange, e um inspetor da polícia sueca estarão presentes no interrogatório, acrescentou. Durante esta encontro, se Assange aceitar, será extraída uma amostra de DNA, disse.

A transcrição deste interrogatório será entregue posteriormente aos magistrados suecos, que decidirão então as próximas etapas. O australiano, de 45 anos, permanece desde junho de 2012 na embaixada equatoriana da capital britânica, quando pediu asilo a Quito para evitar ser extraditado à Suécia. O Ministério Público sueco quer interrogá-lo por um suposto estupro cometido em 2010, que ele nega.

Assange não quer voltar à Suécia por medo de ser extraditado aos Estados Unidos, onde é criticado pela publicação por parte do WikiLeaks em 2010 de 500.000 documentos classificados sobre Iraque e Afeganistão, assim como 250.000 comunicações diplomáticas.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: Correio Braziliense

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *