Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 26/06/2014 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Vídeo: 10 mil cachorros são abatidos em festival culinário na China

cachorro-china

Animais são transportados e vendidos dentro de gaiolas

Um festival de “culinária canina” organizado no último fim de semana na China provocou repúdio em ativistas que defendem a proteção dos animais. O evento ocorre anualmente na cidade de Yulin, perto da fronteira com o Vietnã. Segundo o jornal ‘The Guardian’, cerca de 10.000 cachorros costumam ser abatidos e consumidos por moradores e turistas em cada edição. No último fim de semana não foi diferente. Desta vez, no entanto, o festival foi alvo de críticas na internet, não de ocidentais, mas de ativistas chineses que organizaram petições pedindo a proibição do evento. Alguns compareceram ao local para tentar salvar animais.

De acordo com o jornal britânico ‘The Guardian’, muitos cachorros são abatidos de forma cruel. Ativistas denunciaram que praticamente todos os cachorros consumidos foram roubados em casas de cidades próximas antes de serem vendidos para os açougueiros e cozinheiros do festival. Também existem preocupações sanitárias, já que não há nenhuma inspeção e vários dos animais capturados apresentam doenças, colocando em risco a saúde dos consumidores.

Imagens divulgadas por canais de TV (veja o vídeo abaixo) mostraram cachorros empilhados como galinhas em gaiolas. Quase todos mostram olhares de pavor. Em alguns casos, ativistas foram chantageados por vendedores que cobraram centenas de dólares para vender os animais e que ameaçaram torturá-los se o “resgate” não fosse pago. Segundo a rede CNN, um grupo afirmou ter comprado cerca de 400 cachorros para impedir que eles fossem abatidos. Outros ativistas foram xingados e ameaçados por vendedores quando exibiram cartazes e faixas no meio do festival.

A carne de cachorro é considerada uma iguaria em algumas áreas da China, especialmente na região de Yulin, e festivais semelhantes são organizados no país há séculos para marcar o solstício de verão. Mas nos últimos anos o consumo desse tipo de carne tem caído consideravelmente no país. Segundo o ‘The Guardian’, o repúdio mostrado por vários chineses em relação a esse tipo de evento ocorre por causa do aumento de uma classe média no país. Com valores mais ocidentalizados, essas pessoas passaram a ver os cachorros não como comida, mas como animais de estimação. O mercado de produtos para pets já fatura mais de 2,6 bilhões de dólares por ano no país. Outras províncias do país já baniram festivais similares após a pressão de ativistas locais e várias prefeituras retiraram seu apoio. Até mesmo as autoridades de Yulin afirmaram que não têm nada a ver com o festival e que ele é uma iniciativa isolada dos comerciantes locais.

Em reportagens, vários açougueiros e cozinheiros do festival mostraram frustração com a grande cobertura jornalística do evento. Outros discutiram agressivamente com ativistas. “Você não come carne de vaca? Se você parar de comer carne de vaca eu paro de comer cachorro”, gritou um vendedor para um ativista.

Assista a reportagem abaixo – cuidado, cenas fortes.  Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: Veja

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *