Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 18/06/2014 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Vendas de cobertores à prova de bala superam expectativas nos EUA

2o6q1sr427_75d7jm5spf_file

Uma empresa americana lançou um novo produto que considera “indispensável” para a lista de material escolar: cobertores à prova de bala para crianças. O Bodyguard Blanket, feito de um plástico especial usado em proteções do exército americano, chegou ao mercado há menos de duas semanas e já superou todas as expectativas de venda de seus fabricantes.

Segundo o jornal americano The Huffington Post, Stan Schone, um dos sócios da ProTecht, ficou surpreso com a resposta dos consumidores ao novo produto: “as vendas superaram até as expectativas mais ousadas”.

A empresa estima que o cobertor forneça uma proteção contra 90% das armas que já foram utilizadas em tiroteios nas escolas dos Estados Unidos.

A invenção possui alças e pode ser utilizada como uma mochila. Mesmo leve, é feito de um plástico com uma densidade alta, que fornece uma “armadura” para as balas e armas brancas, como facas. Um cobertor custa cerca de R$ 2.200 (U$ 1.000).

O criador do cobertor, Steve Walker, é do Estado de Oklahoma, região constantemente atingida por fortes tornados. Segundo ele a ideia era conceber uma proteção que fosse portátil, leve e fácil de ser colocada, e que pudesse ser utilizada para proteger as crianças tanto de escombros quanto de balas.

Diante do grave histórico de violência nas escolas americanas, o maior foco do novo produto passou a ser a proteção em tiroteios.

Em e-mail para o Huffington Post, Schone declarou que várias escolas públicas e privadas têm entrado em contato com a ProTecht interessadas no novo cobertor. Vários pais também querem comprá-lo, preocupados com a segurança de seus filhos.

Por custar caro, o Bodyguard Blanket poderia ser uma grande despesa para as escolas públicas, que possuem, em média, uma verba de apenas 11 mil dólares (R$ 24,5 mil) por aluno por ano. Porém, Schone argumenta que o investimento em cobertores seria mais barato do que construir salas de segurança ou abrigos para tornados.

Desde 2012, os Estados Unidos registram uma média de 1,37 incidentes com armas de fogo em salas de aula. Os dados são da ONG Everytown for Gun Safety (que promove a segurança contra o uso de armas).

Deixe seu comentário no Comerj.

Fonte: R7

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *