Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 07/10/2015 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

‘Teologia do estupro’ do Estado Islâmico está levando mulheres ao suicídio

dtq-mulheres-yazidi

Uma mulher de origem yazidi (minoria étnico-religiosa curda) que fugiu de um dos cativeiros do grupo terrorista Estado Islâmico afirmou que centenas de outras mulheres estão cometendo suicídio, em vez de se submeterem a escravidão sexual, imposta pelos jihadistas, em um cativeiro da região de Sinjar – norte do Iraque.

“Nós só queremos que elas sejam resgatadas”, disse Saeed Ameena Hasan em uma reportagem da CNN. “Centenas de meninas têm cometido suicídio”.

“Eu tenho algumas fotos das garotas que cometeram suicídio (…) elas o fazem quando perdem a esperança de serem resgatadas e quando o Estado Islâmico muitas vezes as vende e as estupra (…) Eu acho que haja talvez 100 delas. Perdemos contato com a maioria”, acrescentou.

Enquanto Hasan e outros Yazidis conseguiram escapar do grupo terrorista, milhares de outros permanecem em cativeiro e em grande perigo. O EI vê os yazidis como adoradores do diabo e executa regularmente homens, enquanto força mulheres e crianças à escravidão sexual.

Desde então, Hasan se tornou uma ativista em prol da sensibilização para a situação dos yazidis, e tem sido reconhecida com um prêmio do Departamento de Estado dos EUA para ajudar os reféns do Estado Islâmico.

O Secretário de Estado dos EUA, John Kerry elogiou seus “esforços corajosos em nome da minoria religiosa Yazidi no norte do Iraque, por insistir que o mundo dê atenção aos horrores que eles enfrentam e pelo firme compromisso de ajudar as vítimas e salvar vidas”.

Vários relatórios têm-se centrado sobre as violações terríveis e abuso que as mulheres yazidis sofreram nas mãos dos militantes islâmicos, que capturaram um vasto território no Iraque e na Síria. Muitas mulheres foram forçadas a se casar com jihadistas, para salvar as vidas de seus entes queridos e até mesmo suas próprias vidas.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: Guia me

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *