Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 08/11/2016 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Temer diz que está desmontando ‘ciclo perverso’ da crise econômica

Presidente disse ainda que assumiu governo com desemprego ‘alarmante’. Peemedebista participou de seminário promovido pela CNI e pelo jornal ‘Valor’

Presidente disse ainda que assumiu governo com desemprego ‘alarmante’. Peemedebista participou de seminário promovido pela CNI e pelo jornal ‘Valor’

O presidente Michel Temer afirmou nesta terça-feira (8), em um seminário em Brasília, que seu governo está “desmontando um ciclo perverso” da crise econômica. Segundo o peemedebista, será necessário um trabalho “extraordinário” para superar as dificuldades econômicas e fazer o país retomar o crescimento.

Temer deu a declaração na abertura do seminário Infraestrutura e Desenvolvimento do Brasil, promovido pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI) e pelo jornal “Valor Econômico”. Além do presidente da República, também participaram do evento o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o secretário do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Moreira Franco.

“A superação dessa crise tão aguda exige um cuidado, um trabalho extraordinário que nos permita seguir adiante. E me permita dizer que esse é um ciclo perverso que estamos desmontando”, declarou Temer ao discursar no seminário.

O peemedebista disse ainda que assumiu a Presidência com uma dívida pública crescente e “níveis alarmantes” de desemprego.

Ao falar de incentivos para o setor de serviços, Temer ressaltou que, às vezes, “sente no ar” que as pessoas querem combater o desemprego sem incentivar a iniciativa privada. Na visão dele, “há um certo preconceito” com a atividade empresarial.

“Há muito por fazer, mas juntos, com a iniciativa privada, vamos vencer. É disso que precisamos para o Brasil. […] Quando eu assumi o governo, recebi o país com dívida pública crescente e o desemprego em níveis alarmantes”, enfatizou.

Previdência Social

Michel Temer disse aos empresários que enviará ao Congresso Nacional a reforma da Previdência Social depois que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que limita os gastos públicos pelos próximos 20 anos for aprovada pelo parlamento.

De acordo com a Casa Civil, as sugestões de mudanças nas regras previdenciárias já estão prontas para serem encaminhadas ao Legislativo.

“Temos de pôr o dedo nessa ferida. São quase R$ 150 bilhões de déficit. Os estados estão praticamente quebrados, fruto da Previdência Social. Os governadores têm nos procurado para serem incorporados nessa tarefa federativa, de levar isso ao Congresso Nacional. É uma matéria que temos de levar adiante.”

Bolsa Família

Em seu discurso, o presidente da República destacou não há necessidade de manter o Bolsa Família por um longo período, ainda que ele tenha destacado que “revalorizou” o programa. Na avaliação de Temer, a iniciativa de transferência de renda deve ser somente uma “passagem”.

“Temos uma sociedade muito facetada. Gente rica, classe média, pobre e paupérrima. Ninguém espera falar do Bolsa Família daqui a 20 anos. Deve ser uma passagem, de modo que não haja mais necessidade para o Bolsa Família. Mas, por enquanto, há. Tratamos de revalorizá-lo em 2,5%.”

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: G1

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *