Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 16/07/2015 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Suíça extradita aos EUA um dos suspeitos de corrupção na Fifa

fifa

Saída do país ocorreu nesta quarta, segundo a justiça suíça

Um dos sete responsáveis da Fifa detidos na Suíça em 27 de maio a pedido das autoridades americanas por um caso de corrupção foi extraditado na quarta-feira (15) aos Estados Unidos, anunciou nesta quinta-feira (16) a justiça suíça.

“Informamos que o primeiro dos sete funcionários da Fifa detidos na Suíça foi extraditado aos Estados Unidos no dia 15 de julho de 2015″, indicou o Escritório Federal de Justiça suíço. “Ele foi entregue a uma escolta de três policiais dos EUA em Zurique que o acompanharam em um voo para Nova York”.

A pedido do detido, Berna não publicou oficialmente seu nome.

Segundo o jornal americano ‘Wall Street Journal’, o extraditado é Jeffrey Webb, de 50 anos, mas a informação não foi confirmada pelas autoridades suíças.

Webb, originário das Ilhas Cayman, era uma das figuras principais da Fifa, vice-presidente da instituição e presidente da Concacaf, federação de futebol da América do Norte, Central e Caribe, no momento de sua detenção.

Uma fonte disse à Reuters na semana passada que Webb havia concordado em ser extraditado aos Estados Unidos para enfrentar acusações de corrupção.

O grupo está detido desde o dia 27 de maio, quando uma grande operação foi desencadeada pelo Bureau de Investigação Federal (FBI) e pela polícia suíça.

Entre os sete presos no escândalo está o ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin.

Os sete executivos da Fifa presos em Zurique estão entre 14 funcionários da entidade que controla o futebol mundial indiciados sob a suspeita de corrupção.

Jeffrey Webb, vice-presidente da Fifa, encarregado das Américas do Norte e Central, também está entre sete presos após ação em um hotel de luxo na manhã de 27 de maio.

Os detidos estão em prisões em torno da região de Zurique.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: G1

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *