Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 06/04/2016 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Relatório do BC: pedaladas fiscais aumentaram durante o governo Dilma

dtq-dilma-Rousseff

Dados publicados pelo Banco Central dizem que as manobras conhecidas como pedaladas fiscais foram maiores durante o governo de Dilma Rousseff. Essas manobras são a principal denúncia contra a presidente no processo de impeachment. As informações são da ‘Folha de S.Paulo’.

De acordo com a defesa de Dilma, os presidentes que a antecederam também adotaram esta mesma prática, que consiste em usar dinheiro dos cofres federais no que é responsabilidade do Tesouro Nacional.

O relatório divulgado pelo BC analisou, a pedido do Tribunal de Contas da União, os atrasos em repasses do Tesouro desde 2001, no governo FHC. Segundo ele, os valores apresentaram alta a partir do final do governo Lula e aumentaram drasticamente no governo Dilma.

A conta do Tesouro que deveria ser liquidada com os bancos ao final do governo FHC era de R$ 948 milhões. Já no final de 2015, o valor era de R$ 60 bilhões. Por determinação do TCU, a quantia foi paga em dezembro do ano passado.

Dilma justificou o aumento com a expansão da economia do Brasil e do Orçamento da União desde a década passada. Entre os anos 2001 e 2008, a dívida pública sofreu com o impacto das pedaladas fiscais e ficou entre 0,03% e 0,11% do Produto Interno Bruto. A partir de 2009, houve um crescimento contínuo até chegar a 1% do PIB.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: IG

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *