Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 24/09/2013 em Gospel, Notícias | Nenhum comentário

Preso apanha em delegacia por reclamar de música gospel

detento

Um dos presos da 1ª Delegacia Metropolitana (1ª DM) de Aracaju levou uma série de pancadas, no dia 18 de setembro, depois de pedir que outros detentos parassem de cantar música gospel, segundo o site G1 Sergipe.

O desentendimento teve início quando um grupo de prisioneiros começou a entoar canções cristãs e um dos presos pediu que parassem a “cantoria”, pois a mesma estaria lhe causando dor de cabeça.

Em seguida, o preso acabou sendo espancado pelos outro. Segundo o chefe de custódia da unidade, Marcos Antônio Lima dos Santos, o preso ficou ferido na testa, além de se queixar de fortes dores na cabeça e no abdômen.

“Ele recebeu alta médica por volta das 21h e foi levado para a Delegacia Plantonista porque não pode mais ficar na 1ª DM para evitar novos conflitos. Os outros presos entenderam que ele queria mandar na cela quando reclamou do barulho e por isso a confusão começou. Com medo de represália, ele inicialmente disse que tinha caído sozinho”, declarou o chefe da custódia.

O delegado Luís Carlos Xavier, afirmou que as músicas fazem parte de um costume dos presos. “Eles têm o hábito de ficar cantando ao longo do dia para ocuparem o tempo. E, geralmente no fim da tarde, os presos reforçam o coro com o que eles chamam de louvor. Alguns vizinhos até já reclamaram do barulho”, resume o delegado.

A delegacia, que possui capacidade para doze detentos, está em sobrecarga, com o total de 41 presos superlotando o local, o que seria o principal motivo para habituais confusões entre os detentos, segundo o delegado.

“Tem gente que passa meses aqui e para falar a verdade só um deles deveria estar detido na delegacia enquanto os outros já deveriam ter sido encaminhados para presídios, mas faltam vagas”, complementou Xavier.

Fonte: The Christian Post

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *