Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 26/09/2016 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

PF diz não ter avisado ministro da Justiça sobre nova fase da Lava Jato

A PF deu uma coletiva, nesta segunda-feira (26), sobre a 35ª fase da Operação Lava Jato.

A PF deu uma coletiva, nesta segunda-feira (26), sobre a 35ª fase da Operação Lava Jato.

Uma nova polêmica aconteceu entre a cúpula do Ministério da Justiça e a equipe da Polícia Federal de Curitiba, durante a nova fase da Operação Lava Jato, que levou o ex-ministro Antonio Palocci para a prisão. Antes de entrevista coletiva para tratar das novas investigações, o delegado federal Igor de Paulo leu uma nota em que fez referência ao anúncio antecipado feito pelo ministro Alexandre de Moraes, neste domingo (25). A informação é do ‘O Globo’.

Em um evento em Ribeirão Preto, segundo o jornal ‘O Estado de S. Paulo’, o ministro não escondeu de que uma nova fase da Lava Jato seria deflagrada nesta semana: “Teve a semana passada (operação) e esta semana vai ter mais, podem ficar tranquilos. Quando vocês virem esta semana, vão se lembrar de mim”, disse Moraes.

Ao fato, a PF reagiu: “Em relação à 35ª fase da Operação Lava Jato, a Polícia Federal esclarece que adotou o mesmo padrão de compartimentação e cuidado com a informação que caracterizaram as quase 500 operações deflagradas este ano. Somente as pessoas diretamente responsáveis pela investigação possuem conhecimento de seu conteúdo”, diz a nota, garantindo que o Ministério da Justiça não é avisado com antecedência sobre operações especiais.

“Da mesma forma, as datas de desencadeamento das operações especiais de polícia judiciária são acompanhadas apenas pelos responsáveis pela coordenação operacional. Como já foi amplamente demonstrado em ocasiões anteriores, o Ministério da Justiça não é avisado com antecedência sobre operações especiais. No entanto, é sugerido ao seu titular que não se ausente de Brasília nos casos que possam demandar sua atuação, não sendo informado a ele os detalhes da operação”.

Por fim, o delegado leu que “a PF, instituição do Estado brasileiro, reafirma sua atuação de acordo com o Estado Democrático de Direito”.

Da parte do ministro

Nesta segunda-feira (26), em São Paulo, o ministro disse que teve sua conversa truncada após afirmar que mais operações da Lava Jato ocorreriam. Moraes afirmou que fica sabendo das ações da PF no dia em que elas acontecem, “entre 6h e 6h30″.

“Eu quero garantir que não só a Lava Jato, mas todas as outras operações, como a Acrônimo, vão até o final”, disse o ministro. Moraes falou também que soube da prisão do ex-ministro Antônio Palocci nas primeiras horas da manhã desta segunda.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: O Globo

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *