Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 06/10/2016 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

PF deflagra operação contra fraude de R$ 2,3 milhões no INSS

Operação Imperador é realizada em Goiás e outros dois estados do país. No total, são cumpridos 22 mandados judiciais, sendo 12 de prisões

Operação Imperador é realizada em Goiás e outros dois estados do país.
No total, são cumpridos 22 mandados judiciais, sendo 12 de prisões

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quinta-feira (6), uma operação para desarticular uma quadrilha especializada em fraudes contra o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). Segundo a investigação, o grupo causou cerca de R$ 2,3 milhões em prejuízos aos cofres da Previdência Social. Cerca de 60 policiais cumprem 22 mandados judiciais em Goiás e mais dois estados do país.

Do total de mandados, expedidos pela 11ª Vara Federal da Seção Judiciária em Goiás, 12 são de prisão, dois de condução coercitiva e oito de busca e apreensão.

De acordo com a PF, a Operação Imperador é resultado de três anos de investigações. Os trabalhos são realizados em parceria com a Assessoria de Pesquisa Estratégica da Previdência, sendo que seis servidores do órgão acompanham os policiais federais.

O esquema começou a ser descoberto quando recebimentos irregulares de benefícios assistenciais foram identificados em diferentes estados do país. Para cometer as fraudes, os suspeitos apresentavam documentos falsos, como registros de nascimentos e identidades, originários dos estados do Piauí e Maranhão.

Segundo a PF, os documentos falsos eram protocolados em agências do INSS em Goiás e Distrito Federal, onde obtinham a concessão dos benefícios.

A corporação diz que, além dos prejuízos já registrados, a operação evitou o rombo de mais de R$ 9,3 milhões, que seriam recebidos pela quadrilha se as fraudes não fossem descobertas, isso considerando a expectativa de vida dos falsos segurados.

As diligências identificaram, ainda, que os investigados também atuavam em fraudes para obtenção de seguro desemprego, a partir da inserção de vínculos laborais fictícios.

A PF deve conceder uma entrevista coletiva na sede da corporação em Goiânia, na manhã desta quinta-feira, para dar outros detalhes sobre a operação.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: G1

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *