Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 20/07/2015 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Período de recesso não será tranquilo para parlamentares

b9

Políticos aguardam novas investidas da Operação Lava Jato contra parlamentares acusados de se beneficiarem de desvios da Petrobras

O anúncio do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), na sexta-feira (17), de que cortou relações com o Planalto após ser acusado de ter recebido US$ 5 milhões em propinas comprova que o recesso parlamentar de julho será tenso. Nada de férias, nada de folga na crise. Afinal, a Operação Lava Jato promete ter novas investidas nos próximos dias, a inflação e os juros continuam em alta e o nível de desemprego acelera. À crise política, econômica e ética, soma-se uma institucional. Ao menos por ora, não existe possibilidade de paz nos corredores do poder.

“Teremos um mero recesso congressual. A crise continuará aí, viva, latente, em todos os cantos deste país”, acredita o presidente nacional do DEM, senador José Agripino Maia (RN). “Do ponto de vista prático, esse recesso não mudará nada no quadro que estamos vivendo”, acredita o parlamentar.

Nos próximos dias, o Tribunal de Contas da União (TCU) deve analisar as chamadas pedaladas fiscais da presidente Dilma Rousseff — o atraso nos repasses do Tesouro aos bancos públicos que custeiam programas sociais para garantir a obtenção da meta de superavit primário. Além disso, novos desdobramentos da Operação Lava Jato devem culminar com a denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar os políticos envolvidos na Lava Jato.

O recrudescimento da etapa política da Operação Lava Jato mudou um pouco o cenário da crise, ampliando os problemas. Se antes apenas o Executivo ficaria ardendo durante a folga branca de deputados e senadores, agora muitos parlamentares estão na mesma fogueira.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: Correio Braziliense

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *