Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 20/08/2014 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Partido decide quem será vice de Marina Silva; confira

beto_albuquerque_Fernando-Frazão-Agência-Brasil

O PSB decidiu que o vice de Marina Silva será o deputado gaúcho Beto Albuquerque. A reunião para confirmar os nomes vai ser nesta quarta-feira (20) e o partido não vai mais cobrar de Marina uma carta-compromisso.

Os políticos mais próximos a Marina Silva argumentam que não há necessidade de a candidata assinar um documento. Mas, que ela vai cumprir os compromissos e as alianças fechadas anteriormente por Eduardo Campos. Os nomes de Marina Silva e Beto Albuquerque ainda precisam ser aprovados pelos outros partidos da coligação.

O presidente do PSB, Roberto Amaral, passou a terça-feira (19) no Recife. Participou da missa de sétimo dia de Eduardo Campos e conversou com a viúva do ex-governador e com as principais lideranças do partido em Pernambuco. O líder do PSB na Câmara, deputado Beto Albuquerque, do Rio Grande do Sul, também estava na capital pernambucana. Ele é o nome indicado pelo partido para disputar a vice-presidência na chapa com Marina Silva.

“Eu saio de Pernambuco como tendo recebido uma grande missão, uma grande tarefa de representar o pensamento de um dos políticos mais modernos, revolucionários, que fez em Pernambuco aquilo que nós queremos e vamos fazer no Brasil”, afirmou o deputado Beto Albuquerque, líder do PSB.

Em nota, o presidente do PSB diz que Renata Campos recusou o convite para participar da chapa, porque além dos compromissos familiares, ela sente que seu dever é se dedicar à campanha do candidato do PSB ao governo de Pernambuco. Roberto Amaral reitera ainda que os nomes de Marina Silva e Beto Albuquerque terão que ser aprovados pela Executiva Nacional do PSB, em reunião marcada para esta quarta-feira (20), e também pelos outros partidos coligados.

Mais cedo, em outra missa realizada na Catedral de Brasília, Marina Silva, disse que o esforço de Eduardo Campos para renovar a política não deve ser tratado como herança. “Que seja tratado como um legado. Um legado em que quanto mais pessoas puderem se apropriar dele, maior ele fica”, ressaltou Marina Silva, do PSB, candidata indicada à Presidência.

O presidente do PSB disse que pretende ouvir ainda nesta quarta-feira (20) os outros cinco partidos da coligação.

Deixe seu comentário no Comerj.

Fonte: Bom Dia Brasil

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *