Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 22/11/2013 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Núcleo evangélico ganha espaço em novela: ‘Quero tratamento respeitoso’, diz autor

logo-globo

Ao inserir um núcleo evangélico na novela ‘Amor à vida’, o autor Walcyr Carrasco se cercou de cuidados, informou matéria publicada no site Extra desta quinta-feira (21).

“Eu não quero cacos, nada que leve para o humor. Os evangélicos são muito sensíveis, talvez por terem sido objeto de crítica outras vezes. Quero, sim, um tratamento respeitoso”, confirma o autor, conhecido por desenvolver tramas de cunho espírita e católico em novelas anteriores.

Desde meados de outubro, com a chegada do pastor Efigênio (Glaucio Gomes) — o ex-dono do bar onde Paloma (Paolla Oliveira) teve uma filha, o tema vem ganhando espaço, ainda mais reforçado com a entrada de Elias (Sidney Sampaio). Coube ao personagem dar um novo rumo à vida de Gina (Carolina Kasting), abalada ao descobrir o relacionamento entre sua mãe, Ordália (Eliane Giardini), e Herbert (José Wilker) no passado.

“Assim que soube que iria entrar, busquei contato com os evangélicos. Apesar de não ser, fui aos cultos aberto à fé. Percebi o quanto a crença muda as pessoas, vi gente que saiu da depressão, venceu situações complicadas”, confirma Sidney, que completa: “Eu acredito nesse tipo de relação que se constrói pela fé. A ideia da novela é mostrar a verdade dessas pessoas, não frisar uma postura crítica”.

Sendo o tema delicado, e o público exigente, a orientação de Carrasco foi assimilada em cena com o esmero necessário. A preocupação faz sentido, tendo em vista outras tentativas criticadas de retratar a religião em novelas. Glaucio, bem como os outros atores desse núcleo, deixou-se guiar por duas palavras para conduzir seu personagem: “serenidade e verdade”.

“O meu “feeling”, e também a orientação que eu tive, foi de fazer um pastor sereno, sem exageros. Eu tenho amigos evangélicos, que dizem que, para eles, o importante é mostrar às pessoas o caminho da fé. Não é questão de levantar bandeira, mas qualquer coisa relacionada à crença de alguém requer responsabilidade”, salienta o ator, que visitou uma igreja em Copacabana para ajudá-lo a compor o pastor.

Fonte: Extra

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *