Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 09/06/2016 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Israel: palestinos abrem fogo e matam 4 em ataque a mercado

dtq-atentado

Polícia vasculha restaurante após tiroteio nesta quarta-feira (8) no centro de Tel Aviv

Dois atiradores palestinos abriram fogo num mercado do centro de Tel Aviv, em Israel, nesta quarta-feira (8), deixando quatro mortos. O porta-voz da polícia israelense Miky Rosenfeld anunciou que há “dois terroristas presos”. Um deles foi ferido e levado ao hospital em estado crítico.

O incidente ocorreu no Sarona Market, uma área de cafés e restaurantes que fica muito perto de um quartel-general do Ministério da Defesa.

A polícia disse que os atiradores são de um vilarejo perto da cidade palestina de Hebron, na Cisjordânia ocupada.

Segundo o jornal “Haaretz”, relatos iniciais indicam que duas pessoas armadas começaram a disparar contra pedestres perto do mercado, e depois um deles abriu fogo em uma rua ao lado.

A polícia disse que não havia informação de inteligência sobre qualquer plano de ataque na cidade.

Nos últimos seis meses, ataques de palestinos mataram 31 israelenses e dois turistas norte-americanos. No mesmo período, as forças israelenses mataram pelo menos 196 palestinos, 134 deles eram agressores. Outros foram mortos em confrontos e protestos.

Resposta firme

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, anunciou nesta quinta-feira (9) que tomará medidas “ofensivas e defensivas” após o ataque em Tel Aviv.

“Houve um caso muito difícil aqui de assassinato a sangue frio por terroristas desumanos”, disse o primeiro-ministro acompanhado por seu recém-nomeado ministro da Defesa, Avigdor Lieberman, e o titular de Segurança Pública, Gilad Erdan, em seu retorno durante a madrugada de uma viagem oficial à Rússia, informaram nesta quinta-feira veículos de imprensa israelenses.

Após qualificar a situação como um desafio ao qual Israel responderá “firme e inteligentemente”, Netanyahu disse que manteve uma discussão com os membros de seu governo “sobre uma série de medidas ofensivas e defensivas para agir contra este fenômeno”, sem oferecer mais detalhes.

Os agressores foram identificados pelas autoridades israelenses como dois primos palestinos de 21 anos originais de Yata, ao sul da cidade de Hebron, na Cisjordânia, que não tinham as permissões necessárias para estarem em Israel.

Um deles foi detido no local e o outro foi atingido por disparos de um policial durante sua fuga e se encontra hospitalizado.

O gabinete de segurança israelense anunciou uma reunião de emergência para esta quinta.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: G1

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *