Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 06/06/2014 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Indignação: ‘Estupro algumas vezes está certo’, diz político indiano

mulheres-protestam-na-india

Um colega de partido do primeiro-ministro indiano Narendra Modi afirmou nesta quinta-feira (5) que o estupro “algumas vezes está certo”. O comentário foi feito em meio à onda de indignação com uma série de estupros coletivos de jovens seguidos de homicídio. Babulal Gaur, que ocupa o cargo de secretário de Lei e Ordem do estado de Madhya Pradesh, também afirmou que o estupro é um crime “social” que “depende de homens e mulheres”. “Esse é um crime social, que depende de homens e mulheres. Algumas vezes está certo, outras está errado. Até haver uma queixa, nada aconteceu”, disse ele.

O secretário também defendeu Mulayam Singh Yadav, um político do estado de Uttar Pradesh, no norte da Índia, onde duas adolescentes de 14 e 15 anos foram estupradas e enforcadas. Singh Yadav havia dito em abril que “garotos cometem erros” e criticou um projeto que determina a pena de morte para estupradores. Para Gaur, não havia muito que Singh Yadav pudesse fazer.

No caso desse crime, as autoridades sofreram críticas porque a família das jovens havia prestado queixa antes do ataque fatal, mas foi ignorada pelos policiais. Após os comentários, o Partido do Povo Indiano, por meio de nota, informou que as opiniões refletem uma posição pessoal de Babulal Gaur, e não a visão da sigla. O primeiro-ministro Modi, que assumiu o cargo na semana passada, até o momento tem evitado comentar a onda de estupros no país.

Na quarta-feira, outro caso de estupro seguido de assassinato foi registrado em Uttar Pradesh. Uma adolescente foi encontrada enforcada em uma árvore após ter sido vítima de estupro. O corpo da jovem de 15 anos, que não teve sua identidade revelada, foi encontrado pendurado em uma árvore perto de sua casa, na cidade de Benipur Majra Sarsa, na região de Mishrikh.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: Veja

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *