Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 24/08/2015 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Governo federal anuncia que vai cortar 10 dos 39 ministérios

posse-ministros

O corte deverá atingir ainda cargos comissionados, em torno de 22 mil. Segundo o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, até fim de setembro será feito anúncio oficial

O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, anunciou nesta segunda-feira (24), que o governo estuda cortar 10 dos 39 ministérios. Barbosa não listou quais seriam cortados, dizendo apenas que até o fim de setembro será apresentado uma proposta de reforma administrativa que incluirá ainda a redução de cortes comissionados, em torno de 22 mil postos de recrutamento amplo, e secretaria de governo.

Em março deste ano, a presidente Dilma Rousseff encomendou estudo à Casa Civil para que verificasse a possibilidade de redução ou extinção de pastas. Hoje, o primeiro escalão do governo tem 39 cargos com status de ministro.

Entre os ministérios que poderão ser atingidos estão os da Pesca e o Gabinete de Segurança Institucional (GSI), além de secretarias com status de ministério, como Assuntos Estratégicos, Direitos Humanos, Mulheres e Políticas de Promoção da Igualdade Racial. Todos esses órgãos foram criados ou passaram a ter ministros no comando durante o governo Luiz Inácio Lula da Silva, à exceção do GSI, órgão que substituiu a Casa Militar. O governo está tratando do assunto com cuidado para evitar problemas com aliados e os segmentos sociais interessados nas pastas.

Campanha

Na campanha eleitoral do ano passado, Dilma defendeu o atual número de ministérios dizendo que eles fortalecem demandas de minorias e não trazem despesas consideráveis ao governo. Agora, a presidente avalia que a redução seria um gesto político que mostraria que o “ajuste fiscal é para valer” e que o governo está disposto a dividir o ônus com a sociedade.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: EM

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *