Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 05/06/2013 em Mensagens Pastores | Nenhum comentário

Fases? O casamento não é um jogo de videogame

O valor do casamento não está no fato de adultos produzirem crianças, mas de crianças produzirem adultos. Peter de Vries

Você já deve ter observado um adolescente jogar videogame. Na maioria dos joguinhos, os “atletas” humanos precisam passar de fase em fase para avançar no jogo. Cada fase tem um cenário, tem suas dificuldades próprias, e cada dificuldade vencida dá pontos de crédito – maior a dificuldade, maior a pontuação – até que, finalmente, quando são bons no que fazem e chegam à última fase, vencem o jogo!

Se você já notou, a garotada que começa a jogar não vence “de cara”, facilmente. Eles ficam uns dias na primeira ou nas primeiras fases. Perdem e repetem; perdem e repetem por horas. Aí vem um amiguinho deles e dá alguma dica, algum macete, e eles conseguem passar pela dificuldade de cada fase.

À medida que os garotos ficam bons, outros amiguinhos passam a procurá-los para obter informações sobre boas jogadas que os façam passar de fase. Com o tempo, eles também já podem dar suas dicas. Logo essa relação transforma-se em “uma rede social” na sua casa – quem tem filhos adolescentes sabe bem como é isso, salvo se o seu filho joga online. Aí é outro papo − um está em São Paulo, outro em Nova Iorque e outro ainda em Pequim. Pois é, as fases dos joguinhos “caseiros” também já está ficando para trás, não é mesmo?

O que quero dizer é que o casamento não se parece com um jogo de videogame, no qual ou você vence ou você perde. O casamento é uma história de amor com muitas fases que devem ser superadas conjuntamente. Cada fase tem a sua situação e as dificuldades próprias. Enquanto atravessa essas fases, cada um de nós também precisa da ajuda de gente mais madura, que nos dá dicas para avançarmos até às fases seguintes. E com o tempo, teremos uma rede de casais amigos que se relacionam em companheirismo para se fortalecerem, alimentarem e encorajarem uns aos outros.

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *