Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 10/02/2014 em Gospel, Notícias | Nenhum comentário

EUA: congressistas pedem liberdade de missionário preso na Coreia do Norte

congressistas-pedem-liberdade-missionario

Quatro congressistas norte-americanos, veteranos da Guerra da Coreia, enviaram uma carta ao líder norte-coreano Kim Jong-un pedindo a liberdade do missionário americano Kenneth Bae, preso no país.

Em dezembro, a Coreia do Norte libertou o veterano das forças especiais dos EUA Merrill E. Newman, que participou da Guerra da Coreia e estava preso desde outubro, quando visitava o país como turista. Na carta, os congressistas elogiaram a atitude do governo ao libertar Newman, e pediram que o gesto humanitário fosse estendido também ao missionário.

“Vocês fizeram a coisa certa ao liberar o colega veterano da Guerra da Coréia, Merrill E. Newman, para voltar para casam, e estariam fazendo ainda mais progressos na frente humanitária, libertando Kenneth Bae para se reunir com sua família”, diz a carta, segundo uma cópia obtida pela agência Reuters.

Bae, de 45 anos, está detido a mais de um ano pela Coreia do Norte, que o acusa de ter tentado derrubar o estado e por isso foi sentenciado a 15 anos de trabalhos forçados. A carta que pede por sua liberdade foi assinada pelos democratas Charles Rangel, de Nova York e John Conyers Jr., de Michigan, e também pelos republicanos Sam Johnson, do Texas, e Howard Coble, da Carolina do Norte.

A irmã de Bae, Terri Chung, afirmou em uma entrevista ser grata aos quatro congressistas por chamar a atenção para a situação de seu irmão, ressaltando que é sempre positivo conscientizar mais pessoas a respeito da situação do missionário.

Chung contou ainda que a família de Bae, que mora em Seattle, não fala com ele desde um telefonema feito em 29 de dezembro, um dos três que a Coreia do Norte permitiu que missionário tivesse com sua família desde sua prisão, em novembro de 2012. A mãe de Bae foi autorizada a visitá-lo em Pyongyang, em outubro.

Apesar da iniciativa dos congressistas, especialistas afirmam que tal carta não terá influência no governo norte-coreano, que seria melhor persuadido em uma possível negociação e liberdade do missionário com o envio formal de um representante do governo norte-americano.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: Gospel Mais

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *