Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 11/08/2014 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Estado Islâmico matou mais de 500 e enterrou vítimas vivas, diz Iraque

Est-islamico2

Grupo matou membros da minoria étnica iraquiana Yazidi. Cerca de 300 mulheres foram sequestradas como escravas

Mohammed Shia al-Sudani afirmou que os militantes sunitas também enterraram vivas algumas de suas vítimas, incluindo mulheres e crianças. Cerca de 300 mulheres foram sequestradas como escravas, completou ele.

“Temos evidências notáveis obtidas juntos aos Yazidis que fugiam de Sinjar e a alguns que escaparam da morte, e também imagens da cena do crime que mostram que as gangues do Estado Islâmico executaram ao menos 500 Yazidis após tomarem Sinjar”, disse Sudani em entrevista por telefone, em sua primeira declaração à imprensa sobre a questão.

Sinjar é a antiga casa dos Yazidis, uma das cidades capturadas pelos militantes sunitas que consideram a comunidade “adoradores do diabo” e dizem que eles devem se converter ao Islã ou enfrentar a morte.

Fuga

Ao menos 20.000 civis cercados pelos jihadistas no monte Sinjar, no norte do Iraque, conseguiram fugir para a Síria e foram escoltados pelas forças curdas de volta para o Iraque, indicaram dirigentes locais neste domingo (10).

Uma fonte do governo autônomo curdo do Iraque indicou que 30.000 deslocados fugiram através da Síria e cruzaram de novo a fronteira para o Iraque.

O parlamentar Vian Dajil, que pertence à minoria Yazadi – que constitui a maioria dos deslocados no monte Sinjar – indicou que entre 20.000 e 30.000 pessoas conseguir fugir e se encontram agora no Curdistão iraquiano.

Entenda
Dois anos e meio depois da retirada americana, os jihadistas do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) conseguiram se apoderar de uma parte do noroeste do Iraque, na fronteira com a Síria.

Desde o dia 10 de junho, os jihadistas se apoderaram de Mossul, no norte do país, a segunda cidade do Iraque, de sua província, Nínive, e de setores em duas províncias próximas, Kirkuk e Salahedin, de maioria sunita.

No dia seguinte, tomaram Tikrit, 160 km ao norte de Bagdá, e avançam rumo à capital iraquiana.

O avanço do grupo, favorecido pelo conflito entre a minoria sunita e os xiitas no poder, começou desde a saída de tropas dos Estados Unidos, em dezembro de 2011. Estas são as principais etapas de sua progressão.

Deixe seu comentário no Comerj.

Fonte: G1

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *