Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 16/07/2014 em Gospel, Notícias | Nenhum comentário

Esposa de pastor assembleiano assassinado diz que aprendeu a perdoar

viuva-ira

O marido de Takoosh, pastor Haik Hovsepian, tornou-se mártir em 1984 por pregar o evangelho de Cristo no Irã

Quando Takoosh Hovsepian se casou com o pastor Haik Hovsepian, ela ficou emocionada ao ver que iria passar a vida a serviço do Senhor. Ela sabia que não seria fácil, especialmente no Irã, um país onde 98% da população é muçulmana. Os cristãos são proibidos de ir à igreja e o evangelismo é estritamente proibido.

Ainda adolescente, ela havia orado pedindo a Deus para se casar com um pastor. Sua oração foi atendida e ela se casou com o reverendo Haik Hovsepian, superintendente nacional das Assembleias de Deus e presidente da Aliança Evangélica de Igrejas do Irã.

Embora tivesse medo, seu esposo lhe disse certa vez: “Não temos que ter medo. Devemos confiar em Deus”. Haik amava as pessoas, até mesmo seus vizinhos muçulmanos eram recebidos em sua igreja. Ele estava disposto a ir até as últimas consequências por sua fé e amor.

Na fatídica noite de 1994, Takoosh sabia que algo terrível havia acontecido. Seu esposo saiu de casa para uma missão de evangelização, mas não retornou. Ao tomar conhecimento de que quatro pastores iranianos tinham sido encontrados mortos por se recusar a assinar uma declaração oficial de que não iriam evangelizar os muçulmanos, Takoosh teve a convicção de que Haik havia sido assassinado.

Junto com seu filho Andre Hovsepian, Takoosh já esteve no Brasil visitando igrejas em Sergipe, São Paulo e Rio de Janeiro, contando seu testemunho e compartilhando sobre o ministério de evangelização de muçulmanos iranianos

“Eu só tinha ódio em meu coração; ódio por meus inimigos, por aqueles que assassinaram o meu marido”, lembra Takoosh. “Eu orava apenas com meus lábios: ‘Deus, me dê força para perdoar’, mas antes enquanto eu orava, na minha mente, me via atirando lama nos assassinos do meu marido”.

“Um dia, um milagre aconteceu. Deus me deu força para orar com o meu coração por aqueles que tinham matado o Haik. Eu já não estava orando só com os lábios, mas do fundo do meu coração. Deus respondeu a esta oração e eu comecei a perdoar meus inimigos”.

Ao aprender sobre o verdadeiro significado do perdão, Takoosh passa seus dias incentivando famílias de cristãos perseguidos, principalmente as viúvas, além de compartilhar o seu testemunho em igrejas no Ocidente para gerar conscientização e mobilizar apoio em oração para a Igreja Perseguida.

Depois do martírio de Haik, Takoosh se tornou luz para milhões de cristãos e não cristãos iranianos, que ouviram falar sobre a morte brutal de seu esposo e viram seu exemplo.

Pedido de oração

Ore para que o Senhor derrame do seu amor e ajude os cristãos perseguidos a ministrarem o perdão em seu coração sobre aqueles que os oprimiram e os fizeram mal por causa de sua fé em Jesus. Muitos enfrentam dificuldades e o perdão é algo difícil de ser praticado. Interceda por eles.

Deixe seu comentário no Comerj.

Fonte: Portas Abertas

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *