Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 12/07/2013 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

‘É muito revoltante’, diz mãe de jovem estuprada em UTI

vitima-de-estupro_Débora-KlempousND.jpegO estado de saúde da jovem de 22 anos que afirmou ter sido estuprada dentro da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital em Santos, no litoral de São Paulo, melhorou um pouco nos últimos dias. A jovem, que está grávida, ainda está sedada, por conta dos graves problemas respiratórios, mas reage bem ao tratamento.

A mãe dela, Eliana Cristina Pereira, de 47 anos, está esperançosa com o resultado do boletim médico divulgado na última terça-feira (9). “Os médicos me passaram que ela está reagindo bem ao tratamento. Ela continua sedada, mas o líquido do pulmão está sendo drenado”, explica.

No dia 29 de junho, a jovem que estava internada e grávida de quatro meses, ligou para a família pelo celular, aos prantos, após sofrer abusos de um auxiliar de enfermagem, de 47 anos. O suspeito, preso em flagrante, tinha passagens pela polícia por estupro e atentado ao pudor.

Segundo a mãe da jovem, o risco da filha sofrer uma cirurgia no pulmão foi descartado pela equipe médica do Hospital Guilherme Álvaro. “Eles me disseram que essa possibilidade já está totalmente fora de cogitação. O pulmão que atrofiou já voltou ao lugar”, relata.

Apesar da dor e revolta de toda a família, Eliana acredita muito na recuperação da filha. “Ela sairá viva de lá, eu tenho fé. Minha filha é jovem e a corrente de oração está muito forte. É dolorido demais ver uma filha sua nessa situação. Outro dia estava saudável, feliz com a gravidez, agora está assim. Ver ela daquele jeito, na UTI, é muito revoltante”, diz.

A mãe da jovem revela ainda que outra vítima do suspeito esteve na Delegacia da Mulher. “O tio dela, que está sendo um verdadeiro pai para minha filha, me passou que apareceu uma outra vítima do auxiliar de enfermagem na delegacia”, conta.

Em nota, no dia do ocorrido, o Hospital Guilherme Álvaro informou que abriu sindicância para apurar o caso e que o auxiliar de enfermagem foi, imediatamente, afastado de suas funções. A nota diz ainda que o hospital está à disposição para quaisquer esclarecimentos às autoridades e à família da paciente.

Fonte: G1

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *