Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 08/09/2015 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

É difícil Dilma resistir até fim do mandato com popularidade tão baixa, diz Temer

DILMA

O vice-presidente Michel Temer (PMDB-SP) afirmou nesta quinta-feira (3), a respeito dos recordes negativos de popularidade da presidente Dilma Rousseff, que “ninguém vai resistir três anos e meio com esse índice baixo”. “Se continuar assim, com 7%, 8% de popularidade, de fato fica difícil”, disse a empresários, em palestra promovida em São Paulo pela socialite Rosangela Lyra, do movimento Acorda Brasil, de oposição a Dilma.

Temer comentou que uma melhora na situação econômica poderia reverter o quadro de impopularidade da presidente. “Se a economia começar a melhorar, se a classe política colaborar, o índice acaba voltando a um patamar razoável”, disse ele. “

Quando questionado sobre os cenários que podem levar ao fim precoce do mandato, o peemedebista disse que Dilma “não é de renunciar” e surpreendeu ao afirmar que não questionaria uma eventual decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) de cassar a chapa da petista, o que acarretaria no afastamento da presidente e do vice. “Espero que o governo vá até 2018. A hipótese de cassação pelo TSE eu nem discuto. As instituições têm que funcionar normalmente. Se o TSE cassar a chapa, acabou. Eu vou para casa feliz da vida”, afirmou, arrancando risos da plateia.

Temer também comentou a tentativa frustrada do governo de ressuscitar a CPMF, ele confirmou que foi contra e relatou o que disse a Dilma quando foi informado sobre a iniciativa. “Quando a presidente me ligou para dizer que a equipe econômica tinha decidido pela CPMF, eu fiz uma ponderação. A situação do governo já não é boa aos olhos da população. Não é boa aos olhos do Congresso. O governo sofrerá uma derrota fragorosa no Congresso. Será uma derrota política e outra econômica

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: Veja

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *