Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 24/06/2013 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Dilma cede e vai conversar com o Movimento Passe Livre

dilmaDepois do pronunciamento à nação em que prometeu ouvir “a voz das ruas”, a presidente Dilma Rousseff abriu sua agenda no Palácio do Planalto para movimentos sociais, governadores e prefeitos já nesta segunda-feira (24). Informou a jornalista Cristiana Lôbo, em sua coluna no G1.

Segundo assessores da presidente, a primeira audiência deverá ser na parte da tarde com representantes do Movimento Passe Livre, de São Paulo, o grupo que deflarou os primeiros protestos em São Paulo.

O convite para um encontro no Palácio do Planalto foi feito e aceito, mas o horário da audiência ainda depende do deslocamento de São Paulo para Brasília dos líderes do MPL. Em seguida, às 16h, a presidente receberá os governadores e prefeitos de capitais para com eles discutir um plano de mobilidade abrangente.

O governo está convencido de que o que deflagrou a onda de protestos em todo o país foi a questão urbana – a qualidade de vida das pessoas nas grandes cidades. No governo, há a convicção de que a vida das pessoas está ruim por conta de questões como transporte público, saúde e educação, apesar, segundo governistas, de ter havido melhora nos últimos anos.

A preocupação da presidente Dilma, neste primeiro instante após o pronunciamento no qual reconheceu queixas da sociedade, é mostrar que seu governo está aberto para dialogar tanto com movimentos sociais quanto com representantes de outras esferas de poder, como governadores e prefeitos; e também com representantes dos outros dois poderes da República, o Judiciário e o Legislativo.

Até aqui, foi muito forte a crítica ao isolamento da presidente, à falta de diálogo com setores organizados da sociedade e também a seu estilo de dialogar e de tomar decisões.

Neste sentido, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, que é quem faz a interlocução com os movimentos sociais, vai também retomar o diálogo com entidades da sociedade ligados à juventude. Ele sempre dialogou com estes setores mas sempre se queixou de não conseguir levar adiante promessas ou negociações com estas entidades por conta do estilo da presidente Dilma Rousseff.

O ex-presidente Lula, na conversa que teve com políticos ao longo da semana, disse que se o governo tivesse aberto canal de diálogo com estes movimentos, em particular com o Movimento Passe Livre, toda essa onda de protestos pelo país não teria acontecido.

Para ele, a falta de diálogo com o MPL levou, primeiramente, militantes deste movimento às ruas e, em seguida, eles perderam o comando das manifestações para outros grupos, entre eles, jovens que se comunicavam pela internet.

Fonte: G1

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *