Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 04/08/2015 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Dep. Sóstenes se empenha na defesa da família brasileira; entenda

Sóstenes

O deputado Federal Sóstenes Cavalcante (PSD-RJ), um dos cinco parlamentares do Rio de Janeiro com 100% de presença na Câmara dos Deputados, no primeiro semestre de 2015, defende a criação de políticas públicas de enfrentamento ao álcool. Para ele é de suma importância a criação de leis que desestimulem a venda e o fornecimento do álcool aos jovens. “Sabemos que a bebida alcoólica é a porta de entrada para outras drogas”, destacou.

Com a proposta de defender os interesses da família, e a prevenção e recuperação de dependentes químicos, atuando com proposições, ações e debates, na Câmara dos Deputados, o parlamentar já apresentou algumas propostas de enfrentamento ao álcool, como o PL n°1052/2015, que restringem a vendas de bebidas alcoólicas próximo a instituições de ensino, o PL n°2132/2015, que proíbem a venda em estabelecimentos como padarias e lanchonete, e também o PL n°1496/2015, que proíbe a publicidade de bebidas em eventos desportivos.

O parlamentar acreditar que os principais colaboradores para que o primeiro contato com a bebida ocorra cada vez mais cedo entre os jovens são: a pressão do grupo de amigos, o custo baixo da bebida, a falta de controle na oferta e consumo dos produtos que contêm álcool, além da ausência de limites sociais. “Infelizmente o consumo de bebida alcoólica é aceito e até estimulado pela sociedade. É triste ver que alguns pais que entram em pânico quando descobrem que o filho ou a filha consumiu maconha ou tomou um comprimido de ecstasy, ou outras drogas ilícitas numa festa, achem normal que eles bebam porque, enfim, todos bebem”.

Pesquisas

De acordo com Centro de Informações sobre Saúde e Álcool, nos Estados Unidos, o primeiro consumo de álcool ocorre em média aos 15 anos e estima-se que, aos 18 anos, 70% já o tenham consumido. No Reino Unido, um dos países europeus que mais chama atenção no que diz respeito a medidas de uso de álcool, 70% dos estudantes com 14 anos de idade relatam terem consumido álcool. Já no Brasil, a Pesquisa Nacional de Saúde 2013 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) apontou que 34,5% dos usuários de álcool tiveram o primeiro contato com o álcool entre 15 e 17 anos e 12,5%, antes dos 15 anos. “Estes dados são alarmantes e o que mais causa preocupação é que certamente grande parte desses adolescentes conviverá com a dependência do álcool no futuro”.

“A dependência química é uma enfermidade e é de extrema importância combatê-la logo no início, é preciso fechar essa porta que tem destruído tantas vidas. Quero trazer este debate com amplitude ao Congresso, juntamente com toda a sociedade. É preciso uma análise com cautela, respeito e consciência sobre os males causados pelo o uso do álcool”, alertou.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *