Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 17/03/2014 em Gospel, Notícias | Nenhum comentário

Cristão é libertado de prisão no Irã após ficar mais de seis meses detido

missao

Sevada Aghasar foi libertado sob fiança após passar 190 dias na prisão. No Irã, cristãos locais relatam violência física, ameaças e discriminação por causa de sua fé

De acordo com a agência de notícias ‘Mohabat News’, Sevada Aghasar foi libertado da prisão de Evin no dia 2 de março. Aghasar passou mais de seis meses atrás das grades. Ele havia sido preso no dia 21 agosto de 2013, juntamente com os cristãos Masoud Mirzaei e Ebrahim Firouzi.

Os três estavam reunidos no escritório de Mirzaei, em Karaj, quando autoridades de segurança, à paisana, invadiram o escritório e os prenderam sem a apresentação de um mandado.

Aghasar nunca foi oficialmente acusado, mas as evidências sugerem que sua prisão está relacionada ao seu contato on-line com cristãos de língua farsi. Antes da sua prisão, autoridades de segurança iranianas haviam revistado sua casa e confiscado seus pertences pessoais.

O Tribunal Revolucionário de Robat Karim condenou Ebrahim Firouzi a um ano de prisão e dois anos de exílio, em uma cidade remota chamada Sarbaz por propaganda contra o regime islâmico, por iniciar e liderar grupos de evangelismo, por entrar em contato com agentes antirrevolução fora do país e lançar um site cristão. Firouzi tem sido preso repetidamente por suas atividades cristãs.

Outro cristão, Masoud Mirzaei, que tinha sido preso com Aghasar, também foi libertado recentemente.

A pressão constante em igrejas iranianas e, especialmente, cristãos convertidos de língua farsi é uma violação direta e sistemática dos Direitos Humanos. Embora os governantes iranianos afirmem garantir a liberdade religiosa, ao longo dos anos, a perseguição aos cristãos aumentou rápida e significativamente. Hoje, dezenas de cristãos estão em prisões do Irã por causa de sua fé. O país está na 9ª posição da Classificação da Perseguição Religiosa.

Deixe seu comentário no Comerj.

Fonte: Portas Abertas

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *