Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 31/10/2016 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Crise fez PT perder nas urnas muito mais do que a Lava Jato; entenda

O PMDB e o PP, tão enrolados quanto os petistas na Lava Jato, não sofreram nas urnas. A explicação está na crise econômica. O procurador da República e coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba (PR), Deltan Dallangol: o PT está em terceiro em número de políticos denunciados na Lava Jato

O PMDB e o PP, tão enrolados quanto os petistas na Lava Jato, não sofreram nas urnas. A explicação está na crise econômica. O procurador da República e coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba (PR), Deltan Dallangol: o PT está em terceiro em número de políticos denunciados na Lava Jato

Lideranças do PT têm atribuído o péssimo desempenho do partido nas eleições municipais deste ano aos estragos causados pela Lava Jato, mas não é bem assim. Ou pelo menos não é só isso. Como mostrou um artigo dos procuradores Deltan Dallagnol e Orlando Martello, o partido não é nem sequer o que tem mais políticos enrolados na operação: no STF, dos 17 políticos acusados, 9 são do PP, 4 do PMDB, 3 do PT e 1 do PTC. a informação é do site da ‘Veja’.

Acontece que os dois primeiros do ranking, o PP e o PMDB, não sofreram nas urnas. O PP, no primeiro turno, aumentou seu número de prefeitos, de 473 para 496. O PMDB, de 1 017 para 1 029. Neste segundo turno agora, os peemedebistas também conseguiram vitórias, como a de Gean Loureiro (PMDB) em Florianópolis.

Segundo a reportagem, o que ajudou a derrubar o PT nesta eleição, além da Lava Jato, foi a crise econômica, a pior que o país atravessa em três décadas. Em três anos, o PIB terá recuado cerca de 8% — e em outubro, quando os eleitores foram às urnas, a economia continuava a encolher, e o desemprego, que já ultrapassou os 11 milhões de pessoas, a aumentar.

Embora o PT tente colar no governo de Michel Temer a culpa pela atual ruína econômica, o eleitor parece saber que a maior parte da conta pela crise, ao menos por enquanto, cabe ao governo de Dilma Rousseff.

2º turno confirma derrocada do PT

Imagem: Divulgação

O resultado do segundo turno das eleições municipais confirmou o pior desempenho do PT desde 1985. Das sete grandes cidades em que o partido concorria (Anápolis, Recife, Santa Maria, Santo André, Juiz de Fora, Mauá e Vitória da Conquista), não levou nenhuma, segundo indicam os resultados da apuração.

A legenda conquistou apenas uma capital, Rio Branco (Acre), ainda no primeiro turno, e ainda perdeu o controle do chamado “cinturão vermelho” — as cidades no entorno de São Paulo onde o partido era forte desde os anos 1980.

Na única capital onde o partido ainda tinha chance no segundo turno, Recife, o petista João Paulo foi derrotado por Geraldo Júlio (PSB), que conseguiu a reeleição.

No chamado “cinturão vermelho”, o partido também perdeu nas duas cidades em que disputava o segundo turno: Mauá e Santo André. Com isso, não vai comandar nenhuma das cidades — até este ano, tinha seis prefeitos na região, entre eles o de São Bernardo, Luiz Marinho; Lula, que vive lá, não foi nem sequer votar no segundo turno.

Com isso, a maior cidade sob controle do PT no país a partir de 2017 passará a ser Rio Branco, com pouco mais de 300.000 habitantes.

Em São Paulo, a maior cidade comandada pelo petista será Araraquara, com cerca de 150.000 habitantes, onde o ex-ministro de Dilma Edinho Silva foi eleito no primeiro turno.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: Veja

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *