Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 01/04/2013 em Mensagens Pastores | 1 comentários

Como vai a autoestima do seu filho?

Então o SENHOR Deus ordenou a Gideão: – Vá com toda a sua força e livre o povo de Israel dos midianitas…” (Jz 6.14)

O que é autoestima? É a maneira pela qual uma pessoa se sente em relação a si mesma. É o juízo geral que ela faz de si mesma – o quanto gosta de sua própria pessoa.

Você sabia que os filhos já nascem com uma elevada autoestima e que são os pais que irão sistematicamente mantê-la ou arruiná-la? Toda criança, indistintamente, nasce com um elevado potencial de saúde psicológica.

Por que a autoestima é tão importante para a vida do filho?

O escritor Josh McDowell, em seu livro Construindo Uma Nova Imagem Pessoa (1) diz que: “Pessoas com frágil senso de autovalorização esperam ser enganadas, rejeitadas e censuradas; aguardam o pior e muitas vezes criam motivos para ter medo. Assumem comportamentos derrotistas, de desconfiança e de suspeita”.

A autoestima é a mola propulsora que impulsiona a criança para o êxito ou para o fracasso como ser humano. Uma das necessidades básicas do ser humano é o senso de valor próprio.

Como os pais podem contribuir para melhorar a autoestima do filho?

A visão que o filho tem de si mesmo depende muito daquilo que ele ouve dos pais dentro do lar. Lemos na Bíblia que o poder da morte e da vida está na língua, ou seja, aquilo que falamos tem consequências positivas ou negativas (Pv 18.21). As palavras podem levantar ou derrubar, abençoar ou amaldiçoar, construir ou destruir, desenvolver uma psicologia de vida ou matar. Os pais podem desenvolver a autoestima do filho, afirmando as suas qualidades, celebrando com ele cada conquista, ensinando a pensar positivamente sobre si mesmo e sendo uma referência de otimismo. O psiquiatra e escritor Augusto Cury disse que: “Criticar sem antes elogiar obstrui a inteligência e leva o jovem a reagir por instinto, como um animal ameaçado”.

Meus filhos cresceram declarando-se comigo: “Eu nasci para vencer! Eu nasci para ser uma bênção!”

Os pais nunca devem usar palavras desta estirpe com o filho: burro, besta, idiota, você não vai dar para nada, etc. Isso só vai servir para piorar as coisas, pois dá efeito contrário. O filho acaba acreditando naquilo que o pai (mãe) fala e assume o seu derrotismo.

É muito importante também a maneira de como os pais reagem diante dos fracassos do filho.

Um dia, minha filha Letícia chegou em casa chorando. Ao perguntar o motivo do seu choro, ela me disse que tinha sido reprovada no exame de baliza e que, por isso, teria que fazer novamente, caso contrário não seria possível pegar a carteira de motorista. Dependendo da forma de como eu reagisse naquele momento, ela poderia ser motivada a fazer novamente o exame, e ser aprovada, ou desmotivada, e nem tentar outra vez. Lembre-se, a sua reação diante das falhas do seu filho pode determinar o sucesso ou o fracasso dele. Logo que percebi que ela estava muito decepcionada e pensando em desistir, procurei motivá-la dizendo: “Os vencedores não desistem com facilidade. As crianças aprendem a andar caindo. Você vai tentar quantas vezes for necessária e, com certeza, vai conseguir! O que aconteceu com você já ocorreu com os melhores motoristas”. Ela ouviu, assimilou a mensagem, treinou um pouco mais, marcou uma nova prova e o resultado final foi positivo: aprovada. Hoje ela é uma ótima motorista.

Seja um pai otimista. Invista sempre na autoestima do seu filho. Pais bem-sucedidos são aqueles que treinam seus filhos para vencer na vida! Como? Investindo na sua autoestima.

Referência: 1 McDowell, Josh. Editora Candeia, 1984, São Paulo, SP.

Visite nosso site: www.amofamilia.com.br e www.facebook.com/prjosuegoncalves

1 comentário

  1. Grande mensagem… Que o Senhor Deus continue abençoando este ministério valoroso… Glorias a Deus.

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *