Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 01/10/2014 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Coalizão continua a bombardear jihadistas no Oriente Médio

caças

Caças da Força Aérea dos Estados Unidos realização de ataques aéreos em combate aos militantes do Estado Islâmico

A coalizão dirigida pelos Estados Unidos realizou nesta quarta-feira (1º) bombardeios aéreos contra posições do grupo jihadista EI nas proximidades da cidade síria curda de Ain al-Arab. Não há até o momento a confirmação do número de mortos, segundo o OSDH, entidade civil com sede em Londres que tem uma ampla rede de fontes civis, médicas e militares no país. Pelo menos dez pessoas – nove combatentes curdos e um do EI – morreram em intensos combates nos arredores da cidade estratégica Ain al-Arab, perto da fronteira com a Turquia.

Iraque

Pelo menos 52 integrantes do EI e sete integrates das forças de defesa iraquianas morreram nas últimas horas em confrontos e bombardeios aéreos na província de Saladino, ao norte de Bagdá. Na noite desda terça-feira (31), dezessete extremistas morreram quando as forças do EI atacaram de diversos pontos a localidade de Al Jabr, no sul da cidade de Al Deluiya, e entraram em confronto com policiais e milicianos tribais durante mais de duas horas. Entre os jihadistas mortos há um suicida que vestia um colete com explosivos e outro de nacionalidade saudita.

A Chefia de Operações de Segurança iraquiana informou em comunicado que mais de vinte jihadistas morreram em bombardeios aéreos contra refúgios do EI no leste de Al Deluiya. Outros quinze jihadistas foram mortos em ataques aéreos iraquianos contra posições do EI no leste dessa mesma cidade. O setor norte de Al Deluiya está sob controle do EI, enquanto na parte sul seus moradores ainda resistem ao assédio dos jihadistas, que já dura 106 dias.

O Iraque vem desde junho enfrentando uma guerra contra o EI, que proclamou um califado nas regiões do Iraque e da Síria sob seu controle. Uma coalizão internacional, liderada pelos Estados Unidos, apoia as autoridades iraquianas em sua luta com bombardeios contra as posições dos jihadistas tanto na Síria como no Iraque.

Atentado em escola

Pelo menos quinze pessoas morreram nesta quarta-feira e outras vinte ficaram feridas, entre elas várias crianças, em um atentado com um carro-bomba perto de uma escola em Homs, no centro da Síria, disse o governador provincial, Talal al Barazi. A bordo do veículo estava um terrorista suicida que detonou os explosivos na hora em que os alunos deixavam o colégio Akrima Majzumi, afirmou Barazi.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH) informou que houve duas explosões nesse distrito, de maioria alauita, ramo xiita do Islã ao qual pertence o ditador sírio Bashar Assad, e que uma delas era de um carro-bomba. O OSDH relatou que as explosões causaram dezenas de mortos e feridos, mas não soube precisar o número. Não é a primeira vez que um atentado acontece em áreas de maioria alauita em Homs, já que no passado houve ataques com autoria reivindicada pela Frente Nusra, grupo terrorista sírio ligado à Al Qaeda.

Três anos após o início da guerra civil da Síria, conflito que já deixou mais de 191.000 mortos, não há indicações de que o confronto esteja próximo do fim. Os esforços para promover um diálogo entre representantes do regime do ditador Assad e da oposição não apresentaram avanços. Os protestos contra o governo se transformaram em uma violenta guerra civil sectária que dividiu ainda mais o país. A oposição síria moderada perdeu espaço com o avanço de diversos grupos extremistas, entre eles a Frente Nusra, o Estado Islâmico (EI) e o Khorasan.

Deixe seu comentário no Comerj.

Fonte: Veja

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *