Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 29/05/2014 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

China proíbe enterros e idosos se matam antes que lei entre em vigor

chineses

A partir de 1º de junho, o governo da cidade de Anqing, na província oriental de Anhui, na China ordenou que todos os mortos devem ser cremados. Segundo o jornal local “Beijing News Daily”, as novas regras provocaram as mortes de seis idosos. De acordo com os familiares, eles teriam se matado para conseguirem ser sepultados.

A China tem uma tradição milenar de culto aos ancestrais que determina aos parentes a responsabilidade de enterrar seus familiares e construir os túmulos. No entanto, nos últimos anos, as sepulturas têm sido demolidas em diversas partes do país como parte de uma campanha nacional de incentivo a cremação. O objetivo é tentar economizar os recursos terrestres já limitados.

Diante da medida, funcionários do governo começaram neste mês a confiscar caixões. O advogado chinês Zheng Daoli classificou a ação como ilegal porque eles são propriedade de seus donos.

Zheng Shifang, de 83 anos, se matou após as autoridades serrarem seu caixão na frente dela, enquanto a chinesa Wu Zhengde, de 91 anos, se enforcou depois de saber das novas regras, segundo a imprensa. Outros idosos beberam veneno.

Em Anqing, os moradores gastam até uma década preparando seus caixões. A notícia da proibição dos enterros só foi divulgada em abril, dois meses antes da nova regulamentação entrar em vigor. O governo local disse à imprensa que os suicídios não estavam ligadas à proibição do enterro e que as pessoas tinham desistido de seus caixões de forma voluntária.

Em outros lugares da China, as autoridades locais lançaram campanhas para diminuir as sepulturas, como forma de criar a terra para a agricultura. Na província central de Henan, 400 mil túmulos foram destruídos em 2012, segundo a imprensa local.

Deixe seu comentário no Comerj.

Fonte: O Globo

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *