Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 25/06/2015 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Carne congelada de mais de 40 anos é apreendida na China

chinaflag

Na China, as normas sanitárias não são muito exigentes e também não são cumpridas, razão pela qual escândalos envolvendo alimentos adulterados ou em más condições costumam ser frequentes

Autoridades chinesas apreenderam milhares de toneladas de carne congelada, em sua maior parte podre e com mais de 40 anos, avaliadas em quase 500 milhões de dólares, informou a imprensa local nesta quarta-feira.

Mais de 100.000 toneladas de asas de frango, carne bovina e suína avaliadas em 3 bilhões de iuanes (483 milhões de dólares) foram apreendidas de uma rede de traficantes, segundo o jornal China Daily.

“Cheirava tão mal que quase vomitei quando abri a porta”, declarou um funcionário da província de Hunan, onde 800 toneladas foram apreendidas.

As autoridades desmantelaram 14 grupos de traficantes em todo o país em uma operação que terminou em meados de junho.

As reservas de carne eram provenientes de regiões fronteiriças com o Vietnã, pouco controladas, explicou uma página oficial do governo provincial de Hunan.

Segundo a imprensa estatal, os traficantes compravam a carne muito barata no exterior e a faziam transitar por Hong Kong e Vietnã antes de introduzi-la na China.

No entanto, a Administração Geral de Alfândegas Chinesa não menciona a apreensão.

A análise da carne demonstrou que alguns pedaços têm mais de 40 anos, segundo autoridades de Guangxi, uma região limítrofe com o Vietnã, afirma o jornal.

Isso significa que originalmente a carne foi empacotada e congelada quando o país ainda estava sob o regime comunista fundado por Mao Tsé-Tung, que faleceu em 1976.

Para reduzir custos, os traficantes costumam transportar a mercadoria em carros comuns interrompendo o congelamento, para depois voltar a congelá-la, explicou Yang Bo, diretor adjunto do escritório de luta contra o contrabando na capital de Hunan Changsha.

“A carne pode ser descongelada várias vezes até chegar ao prato do consumidor”, afirmou.

Na China, as normas sanitárias não são muito exigentes e também não são cumpridas, razão pela qual escândalos envolvendo alimentos adulterados ou em más condições costumam ser frequentes.

Um dos mais famosos foi registrado em 2008, quando foi encontrada melamina, um químico industrial, em produtos lácteos. Seis bebês morreram e 300.000 pessoas ficaram doentes.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: AFP e MSN

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *