Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Publicado por no dia 23/11/2015 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Cameron visita o Bataclan e defende ataque ao EI na Síria

Georgina-Coupe-Number-10

O presidente francês, François Hollande, e o primeiro-ministro britânico, David Cameron, visitaram nesta segunda-feira (23) a casa de espetáculos Bataclan de Paris para prestar homenagem às quase 90 pessoas que morreram no local nos atentados de 13 de novembro.

Após a visita, Cameron disse estar convencido que o Reino Unido deve atacar o Estado Islâmico na Síria. O país já realiza bombardeios contra o grupo no Iraque.

“Posteriormente, nesta semana, irei organizar no Parlamento nossa estratégia para atacar o Estado Islâmico”, disse Cameron. “Apóio firmemente a ação que o presidente Hollande tomou para atacar o Estado Islâmico na Síria e estou firmemente convencido que a Grã-Bretanha também deveria”, disse, acrescentando que a decisão tem que ser feita pelo Parlamento.

Os governantes depositaram uma rosa cada diante da casa de espetáculos, segundo a presidência francesa. Cameron afirmou em sua conta no Twitter que permaneceu “ombro a ombro” com Hollande e publicou uma fotografia de ambos no local.

Após a visita, Hollande e Cameron fizeram um pronunciamento conjunto sobre a luta contra o terrorismo no Palácio do Eliseu. Hollande, disse que França e Reino Unido querem trocar mais informações de segurança, após os ataques em Paris. Ele disse que os ataques aéreos à Síria serão mantidos.

“Vamos intensificar nossas incursões aéreas, vamos escolher os objetivos que provoquem o maior dano possível a esta organização terrorista”, declarou.

Cameron também afirmou que será anunciada nesta semana uma estratégia para “derrotar” o Estado Islâmico, que assumiu os atentados em Paris.

Analistas acreditam que Cameron está tentando reunir os apoios necessários para que o Parlamento britânico autorize ataques aéreos contra o EI na Síria.Mais de uma semana após os atentados, a segurança continua rígida dentro da França e as autoridades francesas e de outros países europeus continuam investigando como um grupo de militantes do Estado Islâmico conseguiu planejar e executar tantos ataques simultâneos sem levantar suspeitas.

Entre os suspeitos do atentado que tiveram a identidade divulgada pelas autoridades, um segue foragido. Na última grande operação policial, executada na quarta-feira (18) em Saint-Denis, na periferia ao norte de Paris, três pessoas morreram, inclusive o homem apontado como principal mentor dos ataques.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: G1

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *