Menu Páginas
TwitterFacebook

COMERJ - Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro

Menu Categorias

Brasil e Mundo

Tragédia em Nova York: Incêndio em prédio mata 12 pessoas

em 09:17 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Tragédia em Nova York: Incêndio em prédio mata 12 pessoas

Um incêndio em um prédio residencial no bairro do Bronx, na cidade de Nova York, matou 12 pessoas e feriu gravemente outras quatro na noite desta quinta-feira (28). Uma criança de um ano está entre os mortos.

“Este é o pior incêndio na cidade em pelo menos um quarto de século”, disse o prefeito da cidade, Bill de Blasio. Ele lamentou que a tragédia tenha ocorrido perto do Natal. “Hoje, no Bronx, há famílias que estão destroçadas”, afirmou.

A identidade das vítimas ainda não foi revelada. Segundo o chefe dos bombeiros de Nova York, Daniel Nigro, os mortos tinham entre 1 e 50 anos – três deles eram de uma mesma família. “Essa tragédia é, sem dúvidas, de uma magnitude histórica”, afirmou Daniel Nigro.

As equipes dos bombeiros seguiam procurando por feridos no edifício na manhã desta sexta (29), por isso, ainda não descartam que o número de vítimas aumente.

O fogo começou por volta das 19 horas (local) no térreo, provavelmente na lixeira, e se propagou rapidamente pelo edifício de cinco andares da avenida Prospect, que fica perto do zoológico.

O Corpo de Bombeiros informou que chegou ao local 3 minutos depois. Mais de 170 homens combateram as chamas durante ao menos duas horas. O fogo foi controlado e as equipes estão realizando uma operação de rescaldo.

Uma escola vem sendo usada para abrigar moradores do prédio atingido pelas chamas.

O Bronx é um distrito de Nova York onde moram muitos integrantes das comunidades latina e negras.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: G1

Contra privilégios, Temer, Padilha e Geddel se aposentaram aos 50 anos

em 09:15 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Contra privilégios, Temer, Padilha e Geddel se aposentaram aos 50 anos

O presidente também recebe uma parcela de seu salário como presidente. O valor é de R$ 30,9 mil, mas há o abatimento de R$ 27,8 mil por causa do teto constitucional. Pela legislação, Michel Temer pode acumular a aposentadoria e o salário de presidente até o limite do chamado teto constitucional da União, atualmente no valor de R$ 33,7 mil, portanto, em valores líquidos Temer recebe R$ 2,7 mil da União.

Outros beneficiados

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, 71, é aposentado como deputado federal desde que completou 53 anos. Outro antigo aliado, ex-ministro Geddel Vieira Lima, hoje preso na Papuda, tem 58 anos e conseguiu sua aposentadoria aos 51 também como deputado.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: R7

Presidente do STF suspende parte do decreto natalino de Temer

em 09:06 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Presidente do STF suspende parte do decreto natalino de Temer

Cármen Lúcia suspendeu pontos do decreto de Temer que abrandavam regras para concessão do indulto de Natal, ela acolheu a ação apresentada por Raquel Dodge. Magistrada afirmou na decisão provisória que ‘indulto não é prêmio ao criminoso nem tolerância ao crime’

Responsável pelo plantão do Judiciário durante o recesso, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, suspendeu nesta quinta-feira (28) os trechos do decreto editado na semana passada pelo presidente Michel Temer que abrandavam as regras para concessão do indulto de Natal.

A magistrada concedeu liminar (decisão provisória) acolhendo os questionamentos da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que, nesta quarta (27), protocolou uma ação na Suprema Corte para suspender os efeitos do decreto natalino que reduziu o tempo de cumprimento das penas a condenados por crimes cometidos sem violência ou grave ameaça.

No despacho, a ministra do Supremo ressaltou que a decisão de dar a liminar foi tomada em razão do caráter de urgência do assunto. Segundo ela, ao final do recesso do Judiciário, em fevereiro, o relator do caso, ministro Luís Roberto Barroso, ou o plenário da Corte irão voltar a analisar o pedido da Procuradoria Geral da República (PGR).

“Pelo exposto, pela qualificada urgência e neste juízo provisório, próprio das medidas cautelares, defiro a medida cautelar (art. 10 da Lei n. 9.868/1999), para suspender os efeitos do inc. I do art. 1º; do inc. I do § 1º do art. 2º, e dos arts. 8º, 10 e 11 do Decreto n. 9.246, de 21.12.2017, até o competente exame a ser levado a efeito pelo Relator, Ministro Roberto Barroso ou pelo Plenário deste Supremo Tribunal, na forma da legislação vigente”, argumentou a presidente do STF para conceder a liminar.

Na avaliação de Cármen Lúcia, os dispositivos do decreto presidencial “parecem substituir a norma penal” que garante a eficácia do processo e geram uma invasão, pelo Poder Executivo, de competências dos poderes Legislativo e Judiciário.

Segundo a magistrada, as regras estabelecidas pelo presidente da República para conceder o indulto fortalecem a sensação de “impunidade”, especialmente em relação aos “crimes de colarinho branco”.

Veja os pontos do indulto suspensos pela liminar do STF:

– Diminuição do tempo exigido de cumprimento da pena para o condenado receber o indulto (de 1/4 para 1/5 da pena);
– Perdão do pagamento de multas relacionadas aos crimes pelos quais os presos foram condenados;
– Concessão do benefício mesmo quando ainda há recursos em andamento em instâncias judiciais;
– Possibilidade de indulto a pessoas que estejam respondendo a outro processo.

Indulto de Natal

O indulto natalino é um perdão de pena e costuma ser concedido todos os anos em período próximo ao Natal. Atribuição do presidente da República, esse benefício não trata das saídas temporárias de presos, nas quais os detentos precisam retornar à prisão.

No ano passado, Temer já havia flexibilizado um pouco as regras de concessão do benefício, determinando que poderiam ser beneficiados pelo perdão pessoas condenadas a no máximo 12 anos e que, até 25 de dezembro de 2016, tivessem cumprido um quarto da pena, desde que não fossem reincidentes.

O indulto deste ano abranda ainda mais as normas de concessão do benefício, ao não definir um período máximo de condenação para que o detento obtenha o perdão presidencial.

Além disso, o decreto do presidente reduziu para um quinto o tempo de cumprimento da pena para presos não reincidentes. A medida contempla quem cumprir esses requisitos até 25 de dezembro de 2017.

Ação de Dodge

Na ação judicial apresentada ao Supremo, a procuradora-geral da República argumentou que o decreto de Temer viola os princípios da separação de poderes, da individualização da pena e da proibição, prevista na Constituição, de o Poder Executivo legislar sobre direito penal.

“[Se mantido o decreto] A Constituição restará desprestigiada, a sociedade restará descrente em suas instituições e o infrator, o transgressor da norma penal, será o único beneficiado”, escreveu a chefe do Ministério Público em trecho da ação.

Na liminar concedida nesta quinta, a presidente do STF ponderou que o indulto é um instrumento que beneficia aquele que, tendo cumprido parte do débito com a sociedade, obtenha o reconhecimento de que seu erro foi assumido e punido, sendo dada nova chance para superar esse erro.

“Indulto não é nem pode ser instrumento de impunidade”, observou a ministra do Supremo na decisão.

Perdão de multas

Outro trecho do decreto questionado por Raquel Dodge é o que prevê a possibilidade de livrar o detento beneficiado com o indulto do pagamento de multas relacionadas aos crimes cometidos.

Para a procuradora-geral, o perdão de multas seria uma forma de renúncia de receita por parte do poder público.

Na ação, Raquel Dodge destaca que o decreto natalino deste ano do presidente da República foi classificado como o “mais generoso” entre as normas editadas nas últimas duas décadas e afirma que, se mantido, será causa de impunidade de crimes graves como os apurados pela Operação Lava Jato e outras operações de combate à “corrupção sistêmica”.

Como exemplo, a procuradora-geral da República afirma que, com base no decreto, uma pessoa condenada a 8 anos e 1 mês de prisão não ficaria sequer um ano presa.

Em relação ao perdão das multas, a presidente do Supremo ressaltou na decisão liminar que suspendeu os efeitos de parte do decreto que os valores cobrados dos condenados não provocam “situação de desumanidade” nem são dignos de “benignidade”, por serem parte de uma atuação judicial que beneficia a sociedade.

“Este Supremo Tribunal firmou jurisprudência no sentido de que, para que o condenado possa obter benefício carcerário, incluído a progressão de regime, por exemplo, faz-se imprescindível o adimplemento da pena de multa, salvo motivo justificado”, destacou.

Sem recuo

Após a edição do decreto natalino, o coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba, procurador Deltan Dallagnol, usou sua conta no Twitter para criticar o ato de Michel Temer. Segundo o procurador, o indulto deste ano se trata de um “feirão de Natal para corruptos”.

“Pratique corrupção e arque com só 20% das consequências – isso quando pagar pelo crime, porque a regra é a impunidade”, escreveu.

Diante da polêmica gerada pela edição do indulto natalino, o ministro da Justiça, Torquato Jardim, afirmou nesta quinta à colunista do ‘G1′ Andréia Sadi que o governo não vai recuar em relação ao decreto que mudou os critérios para a concessão do indulto de Natal.

“Não tem recuo. Governo mantém sua posição. Não tem motivo. Agora, é aguardar a decisão da ministra Cármen Lúcia [presidente do Supremo Tribunal Federal]”, afirmou o ministro ao Blog.

Em resposta às críticas disparadas contra Temer em razão do indulto natalino, o ministro da Justiça escreveu um artigo defendendo a iniciativa do presidente da República. O texto de Torquato Jardim foi publicado nesta quinta no site do jornal “O Globo”.

No artigo, o titular da Justiça disse que considerar que o decreto beneficiará investigados, denunciados ou condenados pela Operação Lava Jato “configura ignorância ou má-fé”.

“Não há que se confundir Lava Jato com indulto. Não há qualquer relação de causa e efeito. Lava Jato é uma série de processos administrativos ou judiciais de investigação ora em curso ou na Polícia Federal ou no Ministério Público Federal. Processos sem conclusão, donde sem sentença judicial. Logo, processo administrativo da Lava Jato não é objeto de indulto. O indulto pressupõe decisão judicial – ainda que não definitiva”, escreveu o ministro em trecho do artigo.

O que disse o governo

Pasta encarregada da defesa jurídica do governo federal, a Advocacia-Geral da União (AGU) informou que ainda não foi notificada pelo STF sobre a liminar de Cármen Lúcia e que vai se manifestar dentro do prazo processual.

Já o ministro da Justiça, Torquato Jardim, afirmou à colunista do G1Andréia Sadi que Temer vai estudar como “compensar” os condenados que ficaram de fora do indulto natalino com a decisão da presidente do Supremo.

Torquato também disse à TV Globo que o presidente avalia editar novo decreto com regras para concessão do indulto natalino.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: G1

Israel não tolerará escalada militar do Hamas, diz Netanyahu

em 10:28 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Israel não tolerará escalada militar do Hamas, diz Netanyahu

Tensão entre palestinos e israelenses aumentou após Donald Trump reconhecer Jerusalém como capital de Israel

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, advertiu nesta quarta-feira (27) ao movimento islamita palestino Hamas que não tolerará uma “escalada” militar, e ameaçou recorrer a “todos os meios” para defender seu país, de acordo com a agência ‘France Presse’.

O primeiro-ministro fez o alerta após o aumento das tensões e da violência provocadas com a decisão do presidente americano, Donald Trump, de reconhecer Jerusalém como capital de Israel.

Desde o anúncio, no dia 6 de dezembro, 12 palestinos morreram durante confrontos na Faixa de Gaza e na Cisjordânia ocupada, enquanto lançam foguetes do enclave palestino, controlado pelo Hamas, em direção ao sul de Israel sem deixar vítimas.

“Não permitiremos e não toleraremos nenhuma escalada por parte do Hamas e de outros componentes terroristas contra o Estado de Israel”, afirmou o primeiro-ministro durante uma cerimônia em uma base aérea.

Tensão crescente 

Desde o anúncio do presidente Trump, manifestantes palestinos se reúnem às sextas-feiras em frente ao muro na fronteira entre Israel e a Faixa de Gaza, o que dá lugar a lançamentos de pedras, aos quais soldados responderam com disparos.

Também há uma tensão crescente na Cisjordânia, onde nesta quarta-feira (27) dezenas de palestinos entraram em confronto com soldados israelenses, que lançaram gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes.

O primeiro-ministro reafirmou que Israel “não permitirá às forças militares iranianas estabelecer bases na Síria para nos atacar”.

Teerã, poderoso aliado do regime sírio de Bashar al Assad, envia à Síria “assessores militares” e “voluntários” para combater grupos rebeldes e extremistas.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: G1

EI reivindica ataque que matou 40 pessoas no Afeganistão

em 10:27 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

EI reivindica ataque que matou 40 pessoas no Afeganistão

Alvo do ataque era o centro cultural xiita Tabayan, que funciona no oeste da capital afegã

Explosões em um centro cultural xiita de Cabul, capital do Afeganistão, deixaram 40 pessoas mortas e 30 feridas na manhã desta quinta-feira (28). De acordo com a agência de notícias ‘Reuters’, o grupo Estado Islâmico assumiu a autoria do atentado.

“O alvo do ataque era o centro cultural Tabayan. Uma cerimônia acontecia para recordar o 38º aniversário da invasão soviética do Afeganistão no momento da explosão”, afirmou à ‘France Presse’ o porta-voz adjunto do ministério do Interior, Nasrat Rahimi.

Um ataque suicida foi seguido por duas outras explosões no imóvel, que fica em Qala-e-Nazer, oeste da capital afegã.

O centro cultural fica perto da Agência Voz Afegã, um meio de comunicação que segundo as primeiras informações poderia ter sido o alvo do ataque, segundo a ‘France Presse’.

O porta voz do grupo Talibã, Zabiullah Mojahid, negou qualquer responsabilidade do grupo no ataque, segundo a CNN.

O presidente afegão, Ashraf Ghani, afirmou que o ataque foi um “crime contra a humanidade”. “O terrorista matou nosso povo. Terroristas atacaram nossas mesquitas, nossos lugares santos e agora nosso centro cultural”, declarou.

Para ele, os ataques são contra o islã e “todos os valores humanos”.

Este é o segundo ataque na capital afegã nesta semana. Na segunda-feira (25), um homem-bomba matou ao menos cinco civis perto do escritório da principal agência de inteligência de Cabul. O Estado Islâmico assumiu a autoria do atentado.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: G1

Israel dará nome de ‘Trump’ à estação perto do Muro das Lamentações

em 10:25 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Israel dará nome de ‘Trump’ à estação perto do Muro das Lamentações

Muro das Lamentações. Em dezembro, Trump reconheceu Jerusalém como capital de Israel

Israel dará o nome de Donald Trump à estação de trem que será construída perto do Muro das Lamentações, importante lugar do judaísmo situado na Cidade Antiga de Jerusalém Oriental anexada. O anúncio foi feito pelo ministro israelense dos Transportes, Israel Katz.

Na terça-feira (26), o ministro decidiu adotar as recomendações de um comitê, que sugere estender até o bairro judeu na Cidade Antiga a futura linha de alta velocidade entre Tel-Aviv e Jerusalém, além de estabelecer uma estação a algumas dezenas de metros do Muro das Lamentações, de acordo com um comunicado oficial divulgado nesta quarta.

Essa parada se chamará “Donald John Trump”, decidiu o ministro, “em razão de sua decisão histórica e corajosa de reconhecer Jerusalém como a capital do Estado de Israel e de sua contribuição ao reforço do status de Jerusalém como capital do povo judeu e do Estado de Israel”.

Em 6 de dezembro, Trump rompeu, de forma unilateral, uma política externa há décadas estabelecida nos EUA e na comunidade internacional, ao reconhecer Jerusalém como capital de Israel.

A decisão foi condenada pela comunidade internacional e deflagrou episódios de violência que levaram à morte de 12 palestinos nos Territórios. Já a classe política comemorou o “histórico” anúncio.

Os palestinos reivindicam Jerusalém Oriental, anexada e ocupada por Israel, como a capital de seu próprio Estado, enquanto Israel proclama Jerusalém como sua capital “indivisível”. Para a ONU, o status de Jerusalém – uma das questões mais espinhosas do conflito – deve ser acertado por uma negociação entre israelenses e palestinos.

O Muro das Lamentações fica no bairro judeu da Cidade Velha, no plano inferior da Esplanada das Mesquitas. A Esplanada é o terceiro lugar santo do Islã e o local mais sagrado para os judeus, que o reverenciam sob o nome de Monte do Templo.

Com 56 quilômetros de extensão, a nova linha de trem deve ligar as duas principais cidades do país em 2018, cobrindo o trajeto em menos de meia hora.

O custo dessa linha, que atenderá a cidade de Modiin e o aeroporto Ben Gourion, é estimado em 7 bilhões de shekels (1,69 bilhão de euros), segundo o Ministério.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: G1

Reveillon na cadeia: IML responderá defesa de Maluf em 10 dias

em 10:24 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Reveillon na cadeia: IML responderá defesa de Maluf em 10 dias

O juiz substituto da Vara de Execuções de Brasília, Bruno Macacari, deu prazo de 10 dias para que o Instituto Médico Legal responda aos 33 quesitos da defesa de Paulo Maluf (PP) sobre a saúde do deputado e sobre as instalações do Complexo Penitenciário da Papuda. Os advogados dizem ver omissões no laudo do IML entregue ao juízo no dia 22. O documento, subscrito por dois legistas de Brasília, atesta que Maluf tem doença grave, mas pode receber tratamento na cadeia.

“Oficie-se ao IML e à direção do estabelecimento prisional com cópias dos novos quesitos, a serem respondidos conforme digam respeito às atribuições de um ou de outro órgão, ressalvada a possibilidade de apenas reiterarem informações já prestadas, quando suficientes para a resposta a um quesito ou outro. Assino, para tanto, o prazo de 10 dias”, determinou o magistrado.

Maluf está preso desde a última quarta-feira, por ordem do ministro Edson Fachin, do Supremo. O deputado está condenado a uma pena de 7 anos, 9 meses e 10 dias de reclusão por lavagem de dinheiro que teria desviado dos cofres públicos quando exerceu o cargo de prefeito de São Paulo entre 1993 e 1996.

O juiz ainda considerou que “a decisão definitiva acerca do pedido de prisão domiciliar depende do pleno esclarecimento dos pontos levantados pela defesa, possibilitando-lhe, assim, a impugnação do laudo apresentado pelo IML”.

No entanto, o magistrado pontua que “nada indica que o sentenciado esteja sob risco de saúde ou submetido a tratamento degradante, mas sim, que, ao reverso, vem recebendo todos os cuidados de que necessita, inclusive no que se refere à sua locomoção”.

“Como consta da certidão retro, os profissionais do IML estão em regime de plantão, o que inviabiliza a resposta imediata aos 40 (quarenta) quesitos formulados, relego a decisão acerca da prisão domiciliar para momento posterior às elucidações pertinentes e às eventuais impugnações a serem feitas pela Defesa, ficando mantidas, em todos os termos, com adição dos presentes fundamentos, a decisão de fls. 537/541″, ponderou.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: O Dia

Ministro do STF concede liberdade a mensaleiro Henrique Pizzolato

em 10:23 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Ministro do STF concede liberdade a mensaleiro Henrique Pizzolato

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu liberdade ao ex-diretor de marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, condenado a 12 anos e 7 meses de prisão no julgamento do mensalão pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e peculato.

Em sua decisão, assinada no último dia 19 de dezembro, Barroso considerou que Pizzolato atingiu os requisitos para conseguir a liberdade condicional: cumpriu um terço da pena, é réu primário, tem bons antecedentes e foi condenado por crimes que não são considerados hediondos.

O mensaleiro havia progredido do regime fechado ao semiaberto, em que é possível sair da cadeia para trabalhar durante o dia, em maio de 2017.

“O sentenciado implementou o requisito objetivo necessário à concessão do livramento condicional, qual seja, o cumprimento de um terço da pena que lhe foi imposta. Isto é, considerada a pena efetivamente cumprida (4 anos, 4 meses e 4 dias) e o total de dias remidos pelo trabalho e estudo (331 dias)”, decidiu o ministro.

Enquanto cumprir pena fora da prisão, o ex-diretor do Banco do Brasil deverá honrar as parcelas mensais de 2.175 reais referentes à multa de 2.054.585,89 reais imposta a ele pelo STF em sua condenação no mensalão.

Henrique Pizzolato fugiu para a Itália em novembro de 2013, utilizando o passaporte de seu irmão, Celso, falecido há 35 anos. Ele foi preso na cidade de Maranello, norte do país europeu, em fevereiro de 2014, e extraditado ao Brasil em outubro de 2015. Desde então, cumpria pena no presídio da Papuda, no Distrito Federal.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: Veja

Raquel Dodge vai ao Supremo contra indulto de Natal de Temer

em 10:22 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Raquel Dodge vai ao Supremo contra indulto de Natal de Temer

Para ela, a medida coloca em risco a Lava Jato, materializa a ideia ‘de que o crime compensa’ e será responsável pela ‘impunidade de crimes graves”, além de contrariar a separação de poderes

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, ajuizou nesta quarta-feira (27) uma ação direta de inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF) para contestar o decreto de indulto de Natal e comutação de penas a condenados de todo o país assinado pelo presidente Michel Temer. Para ela, a medida coloca em risco a Operação Lava Jato, “materializa o comportamento de que o crime compensa” e será “causa única e precípua de impunidade de crimes graves”.

Para a procuradora, a norma fere a Constituição Federal ao prever a possibilidade de exonerar o acusado de penas patrimoniais e não apenas das relativas à prisão, além de permitir a paralisação de processos e recursos em andamento.

Ao estabelecer que o condenado tenha cumprido um quinto da pena, o decreto viola, segundo Raquel Dodge, o princípio da separação dos poderes, da individualização da pena, da vedação constitucional para que o Poder Executivo legisle sobre direito penal. “O chefe do Poder Executivo não tem poder ilimitado de conceder induto. Se o tivesse, aniquilaria as condenações criminais, subordinaria o Poder Judiciário, restabeleceria o arbítrio e extinguiria os mais basilares princípios que constituem a República Constitucional Brasileira”, pontua um dos trechos do documento.

Ao detalhar a inconstitucionalidade na previsão de o indulto incluir a remissão de multas, a ação enfatiza que tanto o Código Penal quanto a jurisprudência do STF entendem que a pena de multa tem natureza fiscal e perdoá-la seria uma forma de renúncia de receita pelo poder público. “Em um cenário de declarada crise orçamentária e de repulsa à corrupção sistêmica, o Decreto 9.246/17 passa uma mensagem diversa e incongruente com a Constituição, que estabelece o dever de zelar pela moralidade administrativa, pelo patrimônio público e pelo interesse da coletividade”, enfatiza.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: Veja

Mudança na Base Nacional Curricular é vitória da bancada evangélica; saiba mais

em 14:40 em Brasil e Mundo, Notícias | Nenhum comentário

Mudança na Base Nacional Curricular é vitória da bancada evangélica; saiba mais

O ministro da Educação Mendonça Filho confirmou nesta semana a mudança na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) retirando a ideologia de gênero. A saída dos textos que tratavam sobre orientação sexual e questões de gênero saíram após intervenções das bancadas evangélica e católica, que solicitaram a mudança.

Ao comentar a retirada do tema Ideologia de Gênero da BNCC, o ministro da Educação confirmou um orçamento de R$ 100 milhões, que serão utilizados para a implantação da Base em parcerias com Estados e Municípios, pois além das escolas pública, escolas particulares de ensino infantil e fundamental também usarão o documento.

A proposta do MEC é que com esta nova Base a educação no Brasil se torne uma das melhores do mundo, em termos de igualdade. A expectativa é que o processo de implantação esteja completo, em todas as escolas do país, até 2020.

A importância desse fato foi destacada no informativo ‘Manchete Jornal’, em que o vereador Isaías de Oliveira parabenizou a atuação do deputado federal Sóstenes Cavalcante e do senador Magno Malta.

“Entendemos que estamos na política para defender a família, e o texto inicial não condizia com a necessidade da sociedade brasileira. Neste momento que tivemos essa vitória, que foi a retirada destas mensagens, agradeço e parabenizo ao deputado federal Sóstenes Cavalcante e ao senador Magno Malta por esta sensibilidade”, disse o vereador da cidade de Três Rios.

Deixe o seu comentário no Comerj.

Fonte: Manchete Jornal